17.7.09

“eu nunca li nenhum romance de Namora, e muito menos este de que me ocupei [Domingo à Tarde]. De onde deve concluir-se que a diferença fundamental entre a literatura autêntica e a literatura de consumo está em que, para falarmos desta última, não é necessário lê-la. Que os historiadores universitários da literatura meditem nesta tremenda verdade, e comecem a ler a outra…”
.
[Jorge de Sena, in Estudos de Literatura Portuguesa II, Edições 70, 1988]

1 comentário:

Austeriana disse...

Não sei se concordo totalmente com o Jorge de Sena... A verdadeira literatura, a "autêntica" é aquela que questiona os modos como cada leitor vê o mundo. Muitas vezes, um parágrafo, uma frase ou até sómente uma palavra levam-nos a observar o que nos rodeia de forma diferente e a interessarmo-nos por outras leituras. Às vezes (se calhar, são raras...)isto acontece também com literatura de consumo, agora designada como "light".
As catalogações são quase sempre redutoras...