20.12.09

“Entre mim e a vida há um vidro ténue. Por mais nitidamente que veja e compreenda a vida, eu não lhe posso tocar.”
.
[Bernardo Soares, in O Livro do Desassossego, Assírio & Alvim, 1998]

2 comentários:

Anónimo disse...

Muito obrigado

Giuliano Quase disse...

Bueno, gostei desse fragmento.